Segundo a Fisuel – Federação Internacional para a Segurança de Usuários de Eletricidade – que congrega mais de 20 países do mundo inteiro; a França, cuja legislação de certificação compulsória existe desde a década de 60, registrou em 2012 cerca de 4.000 incêndios, 2.000 acidentes por eletrocussão e 80 óbitos. A Europa, em geral, no mesmo ano, registrou aproximadamente 16.000 feridos e 540 óbitos.

Ainda que esses números números sejam pequenos quando comparados com a população, eles refletem uma realidade: ainda existem acidentes relacionados a instalações elétricas mesmo em países com uma legislação já avançada sobre o tema. Entender o que leva a esses acidentes e como eles poderiam ser prevenidos é crucial para amplicar o escopo de segurança de países cuja legislação ainda é recente – como o Brasil. Há muito que podemos aprender com essas informações.

Historicamente, as Normas internacionais de instalações elétricas de baixa tensão priorizam a segurança de seus usuários e a preservação dos equipamentos e infraestrura a eles associados, visando proteger o consumidor de choques elétricos, contra sobrecorrentes, curto-circuitos, efeitos de temperatura e outros. As normas geram uma demanda de avaliação que chamamos de certificação.

A certificação dessas instalações também tem como principal objetivo avaliar os critérios de projeto, de construção e desempenho, verificando como a instalação se comporta com a utilização por pessoas não especialistas em assuntos de segurança elétrica, que é o perfil comum da maioria dos usuários.

Com dados da própria Fisuel, um Grupo de Trabalho analisou a experiência de Portugal durante 10 anos de operação de seu programa compulsório de certificações de instalações residenciais de baixa tensão, a melhoria evidente da segurança dos usuários e também o que se ganhou em termos de eficiência energéticaA residência representativa desse estudo possui 5 cômodos, sendo 2 dormitórios e aquecimento elétrico ambiental e de água. A redução das perdas de energia nos condutores e demais componentes chegou a 6%, ou seja, o custo de consumo de energia foi reduzido evitando-se o aquecimento desnecessário dos componentes, quadros, paredes, eletrodutos.

 E por que tudo isso é importante?

Hoje, é inevitável sermos impactados por instalações elétricas porque, afinal, tudo gira em torno do uso de eletricidade. Justamente por isso, é crucial que as instalações elétricas sejam projetadas seguindo parâmetros seguros que protejam os usuários de qualquer risco ou dano.

A certificação é uma maneira importante de averiguar o nível de segurança de uma instalação desse tipo e um prédio cujas instalações sejam certificadas, ganha tanto em segurança quanto em eficiência energética – já que diversos produtos (muitos também certificados) ajudam na cadeia energética como um todo. Em uma época como a atual, quando se buscam alternativas de melhoria de eficiência de energia sem abrir mão da segurança, a certificação das instalações vem para responder de maneira adequada ao cumprimento dos requisitos da norma.

E é importante que os consumidores e usuários entendam a importância desse processo para que ele seja cada vez mais rigoroso, aumentando a segurança e diminuindo os ricos de acidentes.